Rio Monos

Aldeia Tenondé Porã

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Historicamente, sabemos que por volta de 1500, as tribos indígenas, habitavam o Brasil livremente e com a chegada dos portugueses e espanhóis iniciou-se ocupação das terras brasileiras.

A presença dos índios "Guarani" na região da cidade de São Paulo, Parelheiros, Marsilac e Colônia deu-se por volta de 1930, época em que a primeira família se fixou no local.
Por volta de 1978, existiam 8 famílias com aproximadamente 30 pessoas na região e o seu sustento se dava pela caça e pesca.

Com a explosão da urbanização, as cidades chegam até as aldeias antes isoladas e seus espaços demográficos são restringidos.


A poluição e a devastação das matas por extração de madeiras e outras riquezas, passam a
ser problemas enfrentados pelas aldeias indigenas.
a natureza) é primordial.

Uma preocupação ainda maior é passar para os jovens e crianças , sua cultura, segundo o Cacique Timóteo da Silva, da aldeia Tenondé Porá a continuidade da identidade de seu povo (língua, dança, religião e tudo o que está relacionado com 

Primeiramente as crianças são alfabetizadas em Guarani, para depois aprender a língua portuguesa.

Atualmente as aldeias indigenas dessa região contam com uma população aproximada de 900 pessoas, e reivindicam
a ampliação de sua área, junto aos Órgãos governamentais.
O Cacique dá uma lição de amor a natureza “Eles querem ser guardiões da Mata Atlântica”, o último reduto de fauna e flora existentes na Região.

Créditos:Extraido do Documentário/Audiovisual produzido pelos alunos e professores do SENAC.

3 comentários:

É muito bom saber que existia um povo tão preocupado com a natureza e triste de ver que hoje são poucas as pessoas que estão se preocupando com a questão ambiental. Haverá um tempo que precisaremos comprar oxigênio para poder rtespirar, como já fazemos com a água potável para poder ser consumida.

Tamar Cristina

Adriana disse...

È interessante porque é tao pouco indios que ainda existem em nossa cidade.

Legal resgartarmos a origem da nossa cidade.

ONG ALERTA disse...

Vamos passar muita informação para as pessoas, precisamos fazer deste mundo um lugar melhor e mais justo, paz.